Desafio Literário 2015: Perdido em Marte - Andy Weir

Título em português: Perdido em Marte
Título original: The Martian
Autor: Andy Weir
Ano de publicação: 2014
Páginas: 336

Para conhecer o Desafio Literário clique aqui e leia o post. Por lá você também confere todos os itens que já concluí e os links para as devidas resenhas.

Meu marido leu esse livro recentemente e me recomendou. Eu já esperava gostar, pois sou louca por ficção científica. Mas me surpreendi com a leitura. Está aí uma ficção científica com ciência de verdade!

A tripulação da Ares 3 está há 6 "sóis" em Marte, quando chega uma tempestade de areia e a missão precisa ser abortada. Na fuga, Mark Watney é atingido por uma antena de comunicação e seu traje é rasgado. Seus sinais vitais são zerados e ele é dado como morto pela tripulação, que não tem tempo para remover o corpo, partindo para a nave e voltando para a Terra.

Porém Mark não estava morto. O sangue do ferimento causado pela antena acabou selando o rasgo no traje espacial. Ele perdeu a consciência por um tempo e seus sinais vitais pararam por um instante. Quando acordou todos haviam partido e ele estava sozinho em Marte. Mark precisa sobreviver. Ele não tem como entrar em contato com a Terra pois a antena de comunicação foi destruída e arrastada pela tempestade. Então, ele começa a traçar planos para prolongar sua vida até a missão da Ares 4, que ocorrerá dentro de quatro anos. Seu estoque de comida e água são limitados, mas usando suas habilidades de botânico e engenheiro mecânico ele começa a produzir seus próprios recursos.

DIÁRIO DE BORDO: SOL 6
Estou Ferrado.
Essa é a minha opinião banalizada. Ferrado.
Seis dias após o início daqueles que deveriam ser os dois meses mais importantes da minha vida, tudo se tornou um pesadelo. Nem sei quem vai ler isto. Acho que alguém vai acabar encontrando. Talvez daqui a cem anos. Que fique registrado: mão morri em Sol 6. 

A história é cheia de altos e baixos. Ora você se anima e diz: "ele vai viver!" Outrora seu coração aperta e você pensa: "ele vai morrer!" E é de livros assim, imprevisíveis, que eu gosto mais. Além das gambiarras cientificas malucas e da luta pela sobrevivência, Watney é um sujeito engraçado e sarcástico. Boa parte do livro é narrada como um "diário de bordo" que o personagem escreve relatando sua nova "missão". E ao invés de chorar e esperar a morte chegar, ele se mostra confiante em suas habilidades e não desiste de seus planos, mesmo quando tudo dá errado.

DIÁRIO DE BORDO: SOL 25
Lembra daqueles problemas das aulas de álgebra em que tem água entrando em um recipiente a uma certa velocidade e saindo a uma velocidade diferente e você precisa calcular quando o recipiente vai ficar vazio? Pois é, esse conceito é crucial para o projeto "Mark Watney não vai morrer", no qual estou trabalhando.


2 comentários:

  1. Oi Nana, tudo bem?
    Nooossa ! Eu estou morrendo pra ler esse livro... Sério, MORRENDO! Mas minha mãe começou o ano com a frescura de "acabe de ler os seus livros primeiro" e como é ela e o meu pai que "bancam" minhas leituras, já viu né?
    Eu imagino que seja, nossa, OMG!! Mas eihn, ele sobrevive? NÃO CONTA! é força do habito, eu tenho que perguntar!

    beijos

    http://fofokicesliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uahsauhsausha Ele... não vou falar! u.u
      Faça um acordo com eles poxa, a cada três livros que você ler pode comprar um! haha
      Eu amei, tipo, MUITO esse livro. E quando conseguir ler venha me contar o que achou *-*

      Beijos

      Excluir